sexta-feira, novembro 13, 2009

Azul, amarelo, verde.




(...) Então, a moça de mil cores caminhava calmamente pela floresta entre as árvores que davam olhos. Brotavam por todos os cantos e as pedras vestiam roupas pois eram todas pudicas. Já a menina andava nua-esverdeada e apanhava os olhos que caíam maduros. Eram mais suculentos os que já haviam tocado o chão. Ela falava com a boca cheia de mácula e todas as nuvens e flores e bichos a compreendiam. E iam noite afora conversando sobre o Tempo enquanto ele não chegava para a festa.

4 comentários:

Graziela disse...

Se me permite, acrescento uma cor por meio de belas palavras alheias:

"Sei que as cores se inventam, e que há estranhos azuis se compondo nos domínios do sonho. E rosas doentes aquecidas à fornalha de um erro ou de uma injustiça, feitas de rubores impacientes, de lamentos e vôos agudos de pássaros imaturos. Sei que há amarelos, turquesas e invenções crepusculares. Aquele roxo, por exemplo – é de crepúsculo o seu odor. Não de violeta, esse odor colado, essa coisa vinda do íntimo da terra, essa clave de vermelho e azul profundo – não esse odor, mas um outro, vibrante, nítido, rasgado à sombra como o efeito de um intenso – alto e eloqüente. Um roxo de paixão. Um roxo de sacristia, mas ainda vivo, ainda pleno em sua inteira mocidade, roxo de flor achada no sertão – no sertão do meu país. Roxo, eu te designo assim vivo – como te extrair deste meu sonho de infância? Cachos e perfumes"

(Trecho de diário do Lucio Cardoso)

paula; disse...

Nossa, que lindo trecho!
Acabei de ler "Crônica da Casa Assassinada" do Lucio Cardoso e achei a narrativa muito forte e bonita.
E quem seria você? ^^

Graziela disse...

Também li a Crônica. Incrível, né?
Vestibular UFMG, filosofia, como você. Sou a Vague Irrésolue da comunidade do orkut. =P

Achei seu blog muito bom. Lírico, sincero, criativo e...nem sei, mas realmente me encantou. Parabéns! ^^

paula; disse...

Feliz "coincidência"! hehe.

Então, é você.
Ansiosa pelo resultado? Eu estou tão otimista que nem sei. Não estaremos na mesma turma, mas aquela FAFICH é a festa da uva, logo não será difícil te encontrar. hehe.

Sobre o blog, obrigada pelas palavras. Tenho evitado escrever aqui... focar minhas idéias melhor... mas acho que não sei escrever profissionalmente. Só quando surge uma luz vinda de qualquer lugar. E isso é tão raro... Mas o movimento é que importa. Negar a inércia que bate. Ser aquilo que serei.

Você me parece interessante.
Também escreve?


Um beijo!