quarta-feira, novembro 25, 2009

O Prenúncio da Sombra.




Há de chegar o dia
de ser e estar,
O Sem-
Tempo do não-falar.

O Cachimbo será
o mesmo
que a sombra
em seu lugar.

sexta-feira, novembro 13, 2009

Azul, amarelo, verde.




(...) Então, a moça de mil cores caminhava calmamente pela floresta entre as árvores que davam olhos. Brotavam por todos os cantos e as pedras vestiam roupas pois eram todas pudicas. Já a menina andava nua-esverdeada e apanhava os olhos que caíam maduros. Eram mais suculentos os que já haviam tocado o chão. Ela falava com a boca cheia de mácula e todas as nuvens e flores e bichos a compreendiam. E iam noite afora conversando sobre o Tempo enquanto ele não chegava para a festa.