segunda-feira, outubro 05, 2009

Prelúdio.




E eis que Eunice começa a dormir despertando de seu sonho. Irei criá-la e usá-la. Seus sonhos desconexos e verdadeiros já se fazem sentido. E me permito dizer que ela já me abre caminhos como a água que passa entre as pedras. Renova o bom dia corriqueiro. Olha para mim como quem terminou de ler o livro e continua a escrever linhas e linhas de vida liberta. Ah, Eunice me ensina como quem de nada sabe. Estamos com sono. Boa noite e boa sorte.

Um comentário:

lepapillon disse...

O que importa é a veracidade -- não a verossimilhança.
***AVAVAVAVAVAVAVAVAVAVAVAVAVAVA***
Certa vez você falou de uma reunião, como nos velhos tempos. Era "mentira por verdade"?