segunda-feira, setembro 07, 2009

Bom dia de caramelo.




Dormi depois de cansada. Acordei depois de cansada. Hoje, vi o sol e não era um sol. Era sonho. As pessoas eram de caramelo e andavam por aí sem medo de se derreterem. Falavam de si e do mundo como se água bebessem. Tudo fazia sentido e caminhar era prazer. Hei de pintar o cheiro do café e escrever o gosto de você. Lá longe, naquela pedra, havia uma moça que voava e um velho que sonhava. Eu era toda música e me chamaram para a ciranda. Durou enquanto a fogueira queimava. Quando, do sol, nasceram a lua e as estrelas, estávamos cansados de não nos cansarmos. Abrimos, então, os olhos sorrindo. Já não fazia mais diferença se nuvem ou se pedra. Vinde a mim o que é.


Jeff Buckley; Dream Brother

Um comentário:

lepapillon disse...

Ei moça-sumida!

Eu vou indo, dormindo depois de cansado, acordando entre pessoas de caramelos (de mel em verdade) sem medo de se derreterem.

As coisas estão num ritmo alucinante, cada vez mais. Contudo, agora sem medo de desandar. Um pouco de hesitação, receio e previdência, é verdade. Mas sem medo.

E isso aqui já está ficando grande demais. Sua vez de falar agora, e aparecer. Sunse(t)!