sábado, agosto 22, 2009

Nú.




(...) Trazer a dança das estrelas para o chão de caos & ordem & caos & ordem. Compreender a vida com todas as pedras no caminho. Percorrer as veredas de coração verde. Adentrar com a alma à infinita Biblioteca. Sair da Caverna, atravessar a rua de brilhantes e encontrar aberta - sempre aberta - a porta da Tabacaria. Comer chocolates com a verdade do mundo. Buscar a eternidade do fim da história no início do Sol. Subir aos céus e curvar-me ao deus que, em mim, construiu a sua Pasárgada. Amém.

[Continua]


Radiohead; Nude

quarta-feira, agosto 05, 2009

terça-feira, agosto 04, 2009

Ser e estar-sendo



E se, de repente, eu fizesse teatro? E se, de repente, eu desistisse da vida acadêmica, começasse a escrever loucamente? E se, de repente, eu olhasse diferente para o que eu queria antes de tudo e voltasse a achar ter certeza de alguma coisa? E, se, de repente, eu trocasse minhas dúvidas velhas por outras mais que novas, brilhantes e mais verdes? Seria, certamente, um novo medo. Não que a novidade importe tanto... vale é não perder de vista o conjugar dos verbos.

segunda-feira, agosto 03, 2009