quarta-feira, junho 17, 2009

Sábado às 18h.

Disso tudo, o único incômodo é não ter o luxo da imprevisibilidade.
Então, eu vou bailando um bolero.
Dois pra lá... dois pra cá.

domingo, junho 14, 2009

Não-post.

Sabe... entrei aqui com o intuito de escrever/refletir sobre como é bom colocar as coisas no mundo. Deslocar. Transformar. Pretendia falar sobre como é bom ser uma boa companhia para si mesmo. E também sobre como estou feliz por ajudar pessoas a virem para o lado livre da força. Mas comecei a ouvir a trilha do filme Alta Fidelidade e, na seqüência (psico)lógica, comecei a ouvir Marvin Gaye com uma das músicas mais gostosas de todos os tempos. Então, deixei a reflexão de lado para mostrar minha face piegas/baranga/real e postar a letra de Let's Get it On:

Let's Get It On
Marvin Gaye
Composição: Marvin Gaye/ Ed Townsend

I've been really tryin', baby
Tryin' to hold back this feelin' for so long
And if you feel like I feel, baby
Then come on, oh come on
Let's get it on, oh baby
Let's get it on
Let's love, baby
Let's get it on
Sugar, let's get it on

We're all sensitive people
With so much to give
Understand me, sugar
Since we got to being
Let's live
I love you

There's nothing wrong with me
Lovin' you, baby no no
And givin' yourself to me could never be wrong
If the love is true, oh baby

Don't you know how sweet and wonderful
Life can be
I'm asking you baby
To get it on with me

I ain't gonna worry
I ain't gonna push
I won't push you baby
So come on, come on, come on, come on, come on baby
Stop beatin' 'round the bush

Let's get it on
Let's get it on
You know what I'm talkin' about
Come on baby, hey hey
Let your love come out
If you believe in love
Let's get it on
Let's get it on, baby
This minute, oh yeah
Let's get it on
Please get it on

So come on, come on, come on, come on, come on darlin'
Stop beatin' 'round the bush

Gonna get it on
I wanna get it on
You don't have to worry that it's wrong
If the spirit moves ya
Let me groove ya... good

Let your love come down
Get it on, come on baby.


E vai ficar por isso.
Ou ié, beibe!


Marvin Gaye; Let's Get It On

sexta-feira, junho 12, 2009

quinta-feira, junho 11, 2009

sábado, junho 06, 2009

Lessons Learned.



Eu não sou de ouvir/ver/cheirar todas as novidades que aparecem por aí... Mas essa aqui vale à pena. Let's get it on!


Matt and Kim; Lessons Learned

sexta-feira, junho 05, 2009

Sonâmbulo.

Há uma necessidade de onipresença. Um medo irracional (e qual não é?) de não se achar vivo se não há ouvidos para a sua respiração. São os tempos de sonambulismo. Oh, como somos tolos! Esquecemos de como é bom/necessário o retiro do mundo dos Outros. É preciso fechar os olhos para lembrar do que vimos. Esquecer é essecial para lembrar e pensar. Desejamos a praga de Funes, o memorioso. Ainda não é chegada a hora de conhecer a Eternidade. Ainda não estamos prontos para a plenitude. O caminho é longo e árduo. Precisamos dormir um pouco. Hoje, dormirei o sono sonhado dos zumbis-egos. Amanhã, voltarei a ser você. E a vida continuará a existir ainda que minhas pálpebras se cerrem. Amém.


The Beatles; Within You, Without You

Pós Silêncio.




Foto pós-trabalho sobre o Fundamento do Conhecimento. Schlick e Wittgenstein fazendo a sua cabeça.


Planet Hemp; Fazendo a Cabeça

quarta-feira, junho 03, 2009

Novas Veredas.

Saí à rua como quem abre os olhos depois de um sonho bom. As árvores eram verde-menta, a rua sem asfalto, o cheiro do carrinho de sorvete pairava e a igreja guardava a história da verdade (de verdade!). O frio me aquecia por inteira. Respirei fundo e assoviei a melhor canção que pude me lembrar. Como é doce querer-bem! Ninguém viu, mas era o Amor que ensaiava os seus primeiros passos.

(Pensando nas novas pessoas-amores)


Elvis Costello; Imagination (Is a Powerful Deceiver)

Agridoce.

É de chorar de rir. Dói a barriga, pensar. Com plumas laminadas, brota sangue amarelo. O vermelho & o verde colorem e pinga água dos olhos. Caminho.. caminho.. façamos o caminho de volta ao branco. Àquele lugar onde não é preciso abrir os olhos para falar. Não é preciso descerrar as pálpebras para entender. Está tudo lá. Todas as cores de melado e de limão. A visão é um sentido pós-moderno. Vamos falar do sexto. Aquele que é quase uma religião. (Zombaria). Vamos falar daquilo que não conseguimos. Vamos ultrapassar a
sétima proposição. Não é preciso fazê-lo com palavras. Voltemos os pés para trás. A la curupira. Andemos. Andemos na espiral! Vamos falar como hiatos, ouvir nos intervalos. Traguemos os minutos e escrevamos a fumaça. Sejamos claros. Espelhos. Vá, vá! Está tudo aí nesse buraco pulsante. Ontem, comi o mundo como uma alma sã. Ah, seu moço, era agridoce feito um frango xadrez com vodka e limão. E o frango me disse: "Viu, menina? Até que é gostoso quando se é Real."

(Para meu Petit menino com seus temperos e pimentões coloridos.)


John Frusciante; Carvel

terça-feira, junho 02, 2009

Olhos nas Mãos.

- Não acredito que o Amor acabe.
- Não se pode agüentar tudo.
- Não enquanto vivermos no Tempo. Isso é pouco pra mim.
- Ainda vivemos no mundo.
- Ainda não é ponto final. Almejo a esfera do Eterno.
- Olha .